8 de out de 2015

'Cidade Aberta'

Gatos escaldados

Frequentemente, acho que temos um comportamento político meio doentio. Elegemos um assunto como prioridade, mobilizamo-nos em torno dele, fazemos um oba-oba danado e, aí, damo-nos por satisfeitos. A prioridade, propriamente, fica do mesmo tamanho, sem solução alguma.

Meses atrás, por exemplo, só se falava em violência. Realizaram-se inúmeras reuniões, promoveu-se uma grande audiência pública, elegeu-se o salvador da pátria, vendeu-se a ilusão de que, enfim, haveria uma solução; e nada! E o assunto sumiu dos jornais.

O alarde da semana é o asfaltamento da estrada Sete Lagoas-Araçaí, anunciada para breve, depois de inserida como prioridade nos Fóruns Regionais do Governo do Estado. Inevitavelmente, me veio à mente a pergunta: quantas vezes, nos últimos anos, nos governos Aécio, Anastasia e Pinto Coelho, nós, ingenuamente, comemoramos esse mesmíssimo asfaltamento?

Eu não tenho dúvida de que essa obra será muito importante para Estiva e Silva Xavier e, mais ainda, para o desenvolvimento da região, mas é de se acreditar que, dessa vez, é pra valer, se o próprio Estado diz que está quebrado?

É de se acreditar que, dessa vez, vai, se quando transitamos pela MG-424, cuja duplicação também está entre as obras estaduais prioritárias, não vemos o menor sinal de melhoria?

É de se acreditar que, dessa vez, sai, se quando subimos a José Sérvulo Soalheiro nos deparamos com a obra monumental – urgentíssima – do Hospital Regional tristemente paralisada, por falta de dinheiro do mesmo caixa do Estado?

Salvo os que gostam de tirar dividendos políticos com anúncios e só anúncios, creio que, dessa vez, como gatos escaldados, nós, sete-lagoanos, deveríamos cobrar do governo estadual respostas muito concretas. Onde está o projeto dessa obra? Já foi orçado? Há recursos orçamentários empenhados? O Estado vai passar essa obra na frente das centenas de outras iniciadas no governo passado que ele anda divulgando, aos quatro ventos, que foram irresponsavelmente paradas? Haverá recursos para essa obra, o Rodoanel, a duplicação da 424, o Hospital Regional e o aumento de efetivo policial? Ou, de novo, é tudo lero-lero?

[Artigo publicado na coluna Cidade Aberta no jornal SETE DIAS  em 02/10/2015]

Nenhum comentário: