8 de abr de 2014

Psoríase

Eu já falei, aqui, duas vezes, pelo menos - AQUI e AQUI -, sobre psoríase. Falei por um motivo simples: eu sofro com essa história há mais de quarenta anos. A intenção não foi uma tola exposição pessoal, mas um esforço em ajudar a desmistificar essa doença. Ela tem um lado social constrangedor: apresenta uma inflação na pele com aspecto nada agradável. Mesmo, no meu caso, em que não é uma psoríase severa, em que a maior parte da doença fica encoberta pela roupa, o pouco que é habitualmente visível [de novo, no meu caso, nos cotovelos, nas unhas e no rosto] já é suficiente para gerar mal estar. E para além desse lado social, mais do que constrangimentos, sabe-se hoje que a psoríase gera riscos importantes à saúde: artrite psoriática nas juntas [que eu já tive nas mãos] e, o que é pior, evidências de alterações metabólicas e problemas cardiovasculares.

Na primeira vez que falei sobre esse assunto, há dois anos, eu estava iniciando um tratamento a base de metotrexato, um imunossupressor usado, em doses maiores, em tratamentos quimioterápicos. O efeito imediato foi fantástico: meu corpo ficou totalmente limpo e as dores decorrentes da artrite sumiram. Mas, ainda durante o tratamento, depois de um ano, ele foi perdendo a eficácia, a psoríase voltou, como antes, apenas sem dores nos dedos. O caminho foi a retirada lenta do medicamento e a retomada do duro hábito de convivência com a doença. Essa parece ser a cruz de todos nós psoriáticos: animar, desanimar e voltar a animar. É como estou hoje, como sempre: tentando administrar a velha companheira com algum humor. Às vezes deixando a barba crescer para dar um descanso para o rosto; outras vezes, buscando alternativas naturais para aliviar os sintomas; outras, ainda, quando o incômodo vence a paciência, apelando para soluções convencionais mais agressivas.

Eu sei que esse é um assunto que interessa a poucas pessoas. Mas é curioso que, ainda hoje, vira e mexe, algum interessado ainda lê as velhas postagens e deixa lá um comentário [como a 'rita', dez dias atrás, com a dica abaixo], o que acaba formando uma rede de solidariedade entre psoriáticos. E, exatamente por valorizar essa rede, é que eu quero parabenizar a vereadora Marli de Luquinha pelo Anteprojeto de Lei 22/2014 que cria a Semana Municipal de Conscientização e Apoio às Pessoas com Psoríase. Isso não é bobagem: há psoriáticos que se negam a conversar sobre o assunto; há uma grande parcela da população que não sabe o que é psoríase e receia, para mal dos nossos pecados, que seja contagiosa. Nesse sentido, a 'Semana de Conscientização' parece ser uma forma oportuna para acabar com esse estigma.

2 comentários:

Marli Aparecida Barbosa disse...

Prezado Flávio, tive acesso a sua postagem, parabenizando a proposição que Institui em Sete Lagoas a Semana Municipal de Conscientização e Apoio as Pessoas com Psoríase.
Não só como Vereadora mas principalmente como ser humano, fiquei muito sensibilizada uma vez que um amigo descobriu ser portador da doença, assim me aprofundei mais sobre o assunto.
Espero estar dando apenas o primeiro passo para que esta campanha atinja seu principal objetivo; à ampla conscientização de toda a sociedade sobre as questões relativas a doença, estimulando ações de apoio as pessoas com psoríase.
Mais uma vez agradeço pelos elogios e aguardo sua visita em meu Gabinete para lhe apresentar outras proposições de minha autoria que estão tramitando na Câmara Municipal.
Atenciosamente;
Marli de Luquinha
Vereadora

Sayuri Matsuo disse...

Olá Flávio!
Venho aqui indicar um programa gratuito para psoríase, o QualityCare, tenho colegas que já fizeram e gostaram bastante, são especialistas super atenciosos que ajudam você a entender um pouco mais a doença e encontrar o melhor tratamento de acordo com seu caso. O site deles é http://www.programaqualitycare.com.br . Espero que possa ajudar.
Abraços
Sayuri