10 de jan de 2014

Aí está 2014!

Amigos e amigas, pois então: eu tinha lá alguns temas em mente para discutir, ainda em 2013. A desastrada condução, pelo Executivo e pelo Legislativo, do importante projeto de aumento do IPTU e o impróprio argumento utilizado pela Prefeitura para a não menos desastrada proposta de direcionar o trânsito de cargas industriais para o pé da serra eram dois deles. O despreparo sistêmico das cidades para lidar com as águas, mais um. Mas o fato é que, no dia 18 de dezembro, quando enviei o último artigo do ano para o SETE DIAS, achei que era hora de desligar os motores e desliguei. Mesmo porque 18 de dezembro é data de morte de meu bom e velho pai João Luiz que Deus o tenha e isso sempre mexe com a gente, não é mesmo? Não há nada que não se possa deixar para o ano que vem e suas esperanças. Eu cuidei, então, apenas e tão somente, de dar curso ao trabalho e de reunir forças para lidar com as festas melancólicas de fim de ano. Sobrevivi! Confesso que uma coisa facilitou muito: como nessa época do ano, lá em casa, a turma não gosta muito de lidar com as panelas, eu pude montar meu bunker na cozinha. E, pode acreditar, isso ajuda muito a tapear a realidade. Entre erros e acertos, um bacalhau no forno enganou bastante bem a turma. Mas tudo é firula. Fiquei na muda até a primeira semana de janeiro. Dia 07 é data de morte de Juninho, João Luiz, meu irmão que Deus o tenha e isso também sempre mexe com a gente, não é mesmo? Na verdade, entre essas duas datas de joões, tão especiais pra mim, minha vontade mesmo é sempre de arrumar as malas e viajar com a família para alguma ilha perdida, para vinte dias sabáticos. Acho que não há nada mais sensato a fazer do que isso. Infelizmente, dessa vez não deu. Mas aí está 2014! E eu sou de opinião que janeiro é um ótimo mês para todo mundo viajar, menos eu. Depois dos tumultuados dias de fim de ano, janeiro, com a cidade mais vazia, as pessoas aparentemente mais tranquilas, é sempre uma bela surpresa. De volta à rotina, faço, então, o que devia ter feito antes: desejo aos eventuais leitores e leitoras deste blog um ano novo melhor do que a encomenda. Boa saúde, bons projetos, bons livros, boas surpresas!

Nenhum comentário: