28 de nov de 2013

O gesto de Nonice

Eu havia lido a mensagem da Maria Eunice de Avelar Marques a respeito da obra da Ilha do Milito, denunciando o desprezo com que o COMPAC foi tratado, no caso, por seus responsáveis e pelo Executivo Municipal. Achei a mensagem impecável! Hoje, soube que, além desse gesto, Maria Eunice negou-se, também, a receber homenagem do Executivo, no aniversário da cidade. Em nome do COMPAC, ela havia sido agraciada com 'medalha de ouro', modalidade mais elevada da 'Medalha de Mérito Cidade de Sete Lagoas'. Maria Eunice declinou da homenagem. Coisa raríssima! O gesto é nobre por si, por sua autenticidade, por sua coerência, por sua honradez. No entanto, para quem conhece o estilo discretíssimo da Maria Eunice, esse gesto ganha uma dimensão maior, por sua coragem, por sua contundência. É de se tirar o chapéu. Parabéns, Nonice!


A obra de reforma com acréscimos na Ilha do Milito  está sendo realizada totalmente a revelia do COMPAC, o Conselho Municipal de Patrimônio Cultural. A Lagoa Paulino e Ilha, além de constituírem uma APA,  são bens municipais tombados e portanto também sob a guarda do COMPAC, conforme legislação de criação deste Conselho.  

Depois de muitos ofícios anteriores,  de pedidos de  informação à Prefeitura que não foram atendidos, foi efetivada uma reunião com a presença dos empresários da obra do restaurante na Ilha, há vinte  dias.

Após a deliberação do Conselho  de mandar retirar todos os elementos metálicos e que apresentassem outro projeto luminotécnico sem as bolas e sem nenhum elemento estrutural adicional, eles saíram da reunião com o compromisso de assim proceder.

E então, com o respaldo do Executivo Municipal, a obra prosseguiu da mesma forma como por eles prevista que, aliás, não tem projetos técnicos, somente algumas perspectivas que não mostram a extensão das intervenções. E o projetista não é arquiteto, se diz artista plástico e não assina Responsabilidade Técnica. E acreditamos que não tenha havido aprovação de projeto de Prevenção de Incêndios e da Vigilância Sanitária.

Nós, Conselheiros, estamos  revoltados, também com a desmoralização que o COMPAC vai sofrendo porque, em ultima instância, a responsabilidade desta intervenção irregular  será dele. É uma lástima, porque o Conselho, já na sua quarta gestão, tem se afirmado e reconhecido na cidade como o guardião de sua personalidade cultural, arquitetônica e urbanística. Ressaltamos que os Conselhos Municipais são de caráter deliberativo, sem poder de fiscalização, embargos ou emissão e cobrança de multas, e dependem do apoio de departamentos da Prefeitura  para efetivar suas ações.


Maria Eunice de Avelar Marques, arquiteta

3 comentários:

Anônimo disse...

Resposta do prefeito no site setelagoas:

"O prefeito Marcio Reinaldo entrou na polêmica e durante posse do Conselho de Alimentação Escolar disparou. “Tem conselho que quer aparecer mais que o prefeito e o vereador. Um conselho queria parar a obra da Ilha. Disse ao presidente que ele seria o primeiro a ser demitido. Não precisamos criar problemas desnecessários”. Afirmou o prefeito garantindo a continuidade da obra e inauguração do restaurante".

Coronelismo!

Blog do Flávio de Castro disse...

Anônimo, isso não é uma declaração; é uma confissão:
[1] O prefeito confessa que acha que papel de prefeito é aparecer. Hilário isso.
[2] O prefeito confessa que só aceita Conselhos pelegos. Vergonhoso isso.
[3] Como o COMPAC atua com base num estatuto legal, ao confrontá-lo, o prefeito confessa que age ilegalmente. Autoritário isso.
[4] Como o presidente do COMPAC é o seu secretário de Cultura, o prefeito confessa que não respeita nem os seus auxiliares. Desonroso isso.
Concordo: coronelismo puro!

Anônimo disse...

Márcio Vicente está sendo uma decepção. Sua postura já foi outra. Era altivo, independente, tinha espírito de jornalista (de quem faz o verdadeiro jornalismo). Virou pelego. Lamentável.
Quanto à Maria Eunice, filha de quem é, somente se espera a honradez que demonstrou ter. Parabéns.