17 de mai de 2013

Isso não pode ser sério

O prefeito municipal enviou três projetos de lei delegada ao Legislativo, alterando a estrutura administrativa do seu gabinete e das secretarias de governo, planejamento e obras e instituindo uma nova secretaria. Somados, os projetos criam 119 cargos comissionados de livre nomeação e extinguem 31, resultando em 88 novos cargos, com impacto orçamentário superior a R$ 2,5 milhões, apenas nesse exercício de 2013. Qualquer um que se debruçar sobre os projetos verá que eles vão na contramão da história. No momento em que a sociedade exige uma estrutura para a Prefeitura de Sete Lagoas que seja contemporânea, profissional e eficiente, os projetos optam por agravar o caos atual, com a criação de uma multiplicidade de cargos confusos, redundantes e imprecisos. Para além de equívocos conceituais, há um patente amadorismo, com uma multiplicidade de erros técnicos bizarros. Se a Prefeitura não tem recursos sequer para pagar passivos trabalhistas, muito menos para investir na valorização dos servidores de carreira, como custeará essa nova despesa continuada?! Fácil: o impacto das mudanças apenas no gabinete do prefeito, por exemplo, da ordem de R$ 1,2 mi, em 2013, será compensado com recursos consignados no orçamento vigente para 'Gestão Integrada de Coleta e Destinação de Resíduos Sólidos Urbanos' e para 'Drenagem Urbana'. Ou seja, justamente da limpeza e da drenagem urbanas, dois problemas da maior gravidade, na nossa cidade. Tem qualquer coisa errada aí...

7 comentários:

Flávia Augusta disse...

Tem é muita coisa errada. Na educação, por exemplo, tem pessoas com dois cargos que somam 13 horas de trabalho - conforme mostra o portal da transparência - esse fato saiu no Sem Reserva do 7 dias, mas ao que parece até o momento nada mudou. Que perde com isso somos nós funcionários que são simples mortais, porque nunca teremos um aumento salarial justo, já que a folha de pagamento está sempre lotada. E perde também a população que fica sem os serviços que a prefeitura deveria prestar. Queria saber como está a atuação do Ministério Público nesta gestão, alguém sabe informar?

Flávia Augusta disse...

Corrigindo:
Quem perde com isso... que somos simples mortais...
#falhanossa

Anônimo disse...

Uma boa pergunta que ninguém responde: A folha de pagamento dos funcionários não é o maior custo no orçamento da Prefeitura?
Criam-se cargos... desvaloriza-se funcionários efetivos...
É mais do mesmo... mudanças nessa gestão? Só se for para pior...

Rodrigo
Sete Lagoas/MG

Luisa Marilac disse...

E houve boatos que Sete Lagoas, com Maroca, estava pior.

Luisa Marilac disse...

E houve boatos que Sete Lagoas, com Maroca, estava pior.

Anônimo disse...

Não vou me identificar em virtude não de receio, mas da certeza da perseguição que poderia sofrer em função destas considerações:
em primeiro lugar, gostaria de parabenizá-lo pela excelência dos trabalhos de encarnação de sua militância cívica voltada à defesa dos valores do Estado Democrático de Direito em nossa cidade, mesmo se integrando a um numericamente tímido conjunto de vozes esclarecidas quase que isoladas no seio de uma cultura em que prevalece o provincianismo e o coronelismo que se ancora nele e na mentalidade social retrógrada de culto a líderes substancialmente medíocres apesar da lustrosa carnadura obreira das respectivas gestões, egressos das piores escolas políticas que se pode conceber (de Paulo Maluf e Celso Pitta, por exemplo, para nos atermos aos casos mais emblemáticos).
Em segundo lugar, gostaria de ressaltar, não sem a manifestação do mais profundo e verdadeiro lamento, que não deveria ser surpresa para ninguém a deterioração do cenário político municipal causada pelo resultado sombrio das últimas eleições, que proporcionou o encastelamento, no platô do Poder local, de componentes de uma ordem perversa, que sob o pretexto da defesa do que se arquitetou de principiologicamente mais elevado na civilização ocidental, procede única e tão somente ao culto idolátrico aos - e à persecução ensandecida dos - meios políticos e financeiros de truculento domínio e sistemático subjugo de seus semelhantes.

Anônimo disse...

Flávio


Já havia comentado aqui em seu blog que as atitudes do atual prefeito em relação a transparência nunca enganou. Ele criou uma cortina de fumaça para aparentar legalidade em seus atos ilegais. Vamos ficar atento para o que há de vir por aí, preparem-se.