18 de mai de 2013

'Cidade Aberta'

Atitude e coragem

Toda vez que se fala em escalada de violência, a tendência é de se cobrar uma atitude dos governos federal e estadual, como se os governos municipais não tivessem nada com isso. Contrariando essa expectativa, a experiência mostra que os casos mais bem sucedidos de combate à violência ocorrem, exatamente, nas cidades em que os prefeitos construíram política locais integradas e articuladas. Esse é o assunto da coluna Cidade Aberta [AQUI], no SETE DIAS. 

5 comentários:

LEANDRO VIANA disse...

Flavio, nos ultimos 10 anos vamos pegar todas as nossas estatisticas de emprego, renda, até acesso a educaçao e qualificaçao profissional da populaçao nas periferias dos grandes centros, há um avanço em todos estes aspectos. Porém a criminalidade, indices de assaltos, homicidios, roubos aumenta dia a dia. Ou seja, a teologia da libertaçao do frei beto é uma balela. Outra coisa, na Colombia, tivemos avanços, como citou, mas tivemos também a tolerancia zero a bandidos. Em nosso país, todos tem responsabilidades, é claro. Mas, o congresso e a presidenta nao estao muito preocupados com isso, pois há anos nenhum projeto legislativo q retire um pouco dos beneficios dos condenados foi aprovado. Um codigo penal dos anos 50 nao vai responder a sociedade.

Blog do Flávio de Castro disse...

Leandro, é tão fácil colocar a culpa na presidente quanto no governador. É apenas uma questão de partidarizar o problema, o que não leva a lugar nenhum. E querer criticar a teologia da libertação a partir daí, francamente, é demais... Eu continuo achando que o problema é municipal: tolerância zero na repressão mais políticas sociais e urbanas nas periferias. É isso ou nada!

LEANDRO VIANA disse...

Concordo plenamente com suas propostas e reconheço os seus beneficios locais, discordo do foco do problema. A questao da segurança publica obriga uma resposta legislativa, imediata. A impunidade está evidente. A nossa costituiçao tem o foco na garantia das liberdades individuais no contexto pos ditadura, porem hj surgiu um inimigo naior do Estado que está responsável por 90% dos crimes: o narcotraficante. A PF até hj nao cmconseguiu viabilizar o banco de DNA de bandidos, sabe por que?

LEANDRO VIANA disse...

Por que a proposta esbarra no principio de q ninguem é obrigado a produzir provas contra si mesmo. Ridiculo. Sobre a teologia da libertaçao ela é falha. No Brasi, a melhor redistrbuiçao da renda nao implicou em reduçao da criminalidade. No Brasil esta teoria mostro-se balela. abs

Blog do Flávio de Castro disse...

Leandro, eu prefiro deixar a teologia da libertação de lado e focar no ponto que você propõe discutir: a da 'resposta legislativa'. Essa sim me parece uma questão importante sobre a qual, confesso-lhe, não tenho opinião formada. Abs, Flávio