14 de abr de 2013

Corrida de pneus

Corridas de F1 andam se resumindo a duas coisas, como nunca: pneus e paradas nos boxes por conta dos pneus. Os pneus andam deteriorando rápido demais para todos, ainda que carro, pista e forma de pilotagem influenciem. Em função deles, a estratégia de troca, não apenas pelo tempo, mas pela capacidade da equipe de devolver o seu piloto na pista mais limpa possível virou o ponto chave. Retorno a pista em meio de pelotão, em meio a disputas ferrenhas e sujeito a mais desgastes de pneus é fria. Massa que o diga.

A largada da Ferrari foi pra lá de bacana. Na volta 5, ela protagonizou o ponto alto da corrida: uma ultrapassagem dupla de Alonso e Massa sobre Hamilton, colocando os carros vermelhos na liderança. Estava dando para acreditar que Massa, enfim, faria uma boa prova. Qual o que... Nada que fosse além da primeira troca de pneus. A equipe chamou Alonso primeiro e o devolveu em boa pista; chamou Massa em segundo e o desgaste de uma volta a mais lhe reservou um retorno embolado. Dai pra frente, nada de novo: decepção e um discreto sexto lugar,depois da bandeirada.

Ser segundo piloto ou ir se tornando um segundo piloto é o inferno da F1. A China não me deixa mentir: Alonso, primeiro, Massa, sexto; Vettel, quarto, Webber, fora; Hamilton, terceiro; Rosberg, fora; e por aí afora.

Semana que vem tem mais, em Bahrein, em horário nobre: às 9 da manhã. As belas coberturas em pétalas do circuito de Sanghai encerram a série de corridas da madrugada. Ufa!...

Nenhum comentário: