17 de mar de 2013

F1: GP da Austrália

A diversão do dia, digo, da madrugada, foi acompanhar a corrida pelo F1 Timing 2013. Você tem o mapa da pista com a posição de carro por carro e todas as tabelas de posição, trocas de pneu etc. etc. Valeu a dica, Marcinho!

Eu errei feio o meu palpite. Achei que ia dar RBR. Os dois carros estavam na ponta do grid, a pista é horrível para ultrapassagem; ou seja, tudo, a meu ver, conspirava a favor de Vettel. Mas, já na largada, a coisa não pareceu tão favorável assim, com uma belíssima saída dos dois pilotos da Ferrari. Até que, aos poucos, Raikonen foi dando as caras. Largou em sétimo, na segunda, terceira volta, já era o quarto; e, aí, valeu o de sempre: a estratégia de pneus. São eles que comandam a F1. A Lotus deu um nó tático, fez uma parada a menos e levou...


Além dos pneus, quem manda na F1 é o Santander que defende seu protegido Alonso, com unhas e dentes. Curioso como a Ferrari sempre acerta nas estratégias com o espanhol e erra feio com o brasileiro Massa. Pois então!, Massa estava à frente do companheiro; lá pela oitava volta, chegou a liderar; segurou bem as investidas do chorão; mas perdeu a posição nos boxes, numa operação desastrada da equipe que o deixou tempo demais na pista, no segundo pitstop. Normal!

Ponto para Sutil e sua Force India. Chegou em sétimo, mas, enquanto pôde, mandou bem...

No final de semana que vem tem mais marmelada.

4 comentários:

Ramon Lamar disse...

É... assisti a corrida numa luta para vencer o sono. Massa até que pilotou bem. O jogo de equipes era óbvio que aconteceria. Mas esse negócio de ganhar corrida na estratégia de uma parada a menos é sem graça... o próprio Raikkonen disse que foi a vitória mais fácil de sua vida. Vitórias não podem ser tão fáceis para merecerem glória. Mas o cara é um bloco de gelo e o quê esperar de uma entrevista com ele... gelo e vodka!

Amaro Marques disse...

Enquanto isso, no futebol...

Blog do Flávio de Castro disse...

...o escrete azul segue líder isolado da competição rural!

Blog do Flávio de Castro disse...

Ramon, eu acho que essa importância que os pneus adquiriram é o grande mal da F1 atual. São eles que dão brecha para essas vitórias inglórias. De toda forma, deu pra divertir com o pouco que sobrou: a dúvida se os pneus do homem de gelo aguentariam até o fim. Aguentaram... e bem!