30 de mar de 2013

Deu no Hoje em Dia

Os problemas na obra do Hospital Regional ganharam as páginas do jornal de Belo Horizonte, o HOJE EM DIA: 'Projeto malfeito deixa obra de hospital em Sete Lagoas R$32 mi mais cara'.

O jornal usou palavras do próprio prefeito. Como de hábito, são palavras superlativas. Acho pouco provável, por exemplo, que o número de R$ 32 mi tenha uma base de cálculo real. Como parece-me um 'chute' essa história de que 'foi detectado que deverão ser feitas mais de cem adequações no projeto original'. Mas ainda que esses números sejam relativizados, qualquer que seja a verdade, há claro indício de má gestão, nessa história. Ela mostra aonde se chega quando se mistura imperícia técnica com interesses políticos partidários.

Tecnicamente, até o momento, o assunto estava sendo posto na conta da 'falta de projetos executivos'. Não é o melhor caminho licitar obras apenas com projeto básico, mas não teria sido a primeira vez que isso teria sido feito. Agora, o papo é outro e bem mais grave: 'projeto malfeito'! Incrível: depois de tantas idas e vindas [um primeiro projeto, um segundo reduzido, um terceiro refeito etc.] não se conseguiu chegar a um projeto seguro. Pra mim, negligência ou inexperiência, como está posto na reportagem, são sinônimos de uma mesma coisa.

Politicamente, não é demais lembrar: primeiro, em 2008, o governo estadual anunciou que repassaria R$ 40 mi para o Hospital Regional [aí, fez-se o primeiro projeto]; depois, em 2009, cortou esse valor pela metade [e, então, fez-se um segundo projeto]; adiante, já no período eleitoral, em 2010, em ato partidário em Sete Lagoas, o governador anunciou a duplicação do repasse [e aí veio o projeto de Juiz de Fora...]. Ainda em plena campanha, esse assunto virou motivo de desavença entre tucanos estaduais e municipais de alta plumagem, num jogo de empurra para se saber quem era o culpado pelo atraso no início da obra. Aí, tirar a obra do papel virou questão de honra. E deu no que se vê...

Nenhum comentário: