27 de mar de 2013

Ambulantes

Por falar em ambulantes, há pouco mais de dez anos, eu fiz um projeto para a Prefeitura [já esclarecendo: nada de contrato; foi um projeto de graça, hipotético, apenas uma simulação] para a praça Dom Carlos Carmelo Mota, a praça da feirinha. Como se falava em construir um novo ginásio coberto municipal, a ideia era transformar o atual em um centro de eventos, uma mini- Serraria Souza Pinto. Ao fazer essa remodelagem, o projeto cuidou da revitalização do espaço externo, no entorno imediato, sem interferir na feirinha, que continuaria lá. Bom, havia uma mudança na geometria da área de intervenção, desenho de novos acessos e mudança de materiais. As construções [públicas] existentes entre o ginásio e a lagoa [onde funcionavam bares e um buffet] seriam demolidas e substituídas por uma cobertura com lona tensionada. Ter-se-ia algo como uma ampla rua coberta. A ideia era fazer ali uma rua gastronômica. Exatamente, um lugar, sem improvisos, organizado, regulado, para ambulantes que trabalhavam com alimentos, dentro de uma política de incentivo a micro-negócios. Era apenas uma provocação...

Nenhum comentário: