24 de fev de 2013

'Heroína'

Quando a blogueira Yoani Sánchez apareceu, em meio às denúncias de presos políticos em Cuba, eu achei até graça na pessoa. Eu sou daqueles que acha que direitos humanos vale em todo lugar, aqui, em Cuba, onde for. Depois, as suspeitas em torno dela se tornaram tão ostensivas que eu pus os dois pés para trás. Simples: não vou bater palmas para quem eu não ponho as mãos no fogo. Daí, entretanto, a tomar birra mortal vai uma distância. Eu também sou daqueles que acha que o mundo seria pior se todos pensassem como eu; a diversidade é boa. Por mim, a Yoani tem direito de pensar como bem quiser. E tem direito de ir onde desejar para pregar suas ideias. Eu não preciso acompanhar seu périplo e suas opiniões. E acho também que é um direito dos outros confrontarem e denunciarem a cubana. Mas que tudo tem um limite, lá isso tem. Embora eu seja uma pessoa de esquerda, não entendo a esquerda raivosa que partiu para uma ação contra ela que beirou ao desrespeito, durante essa sua viagem ao Brasil. Acho que isso só serviu para valorizá-la. E valorizou tanto que a turma do lado de lá - a começar pelo Ronaldo Caiado e pelo Jair Bolsonaro, que, expressamente, posicionam-se como políticos de direita, passando pelo Geraldo Alckmin, tido e havido como membro do Opus Dei, ao senador Aécio Neves, que tenta parecer moderno, mas não é - se fez de tiete e correu para posar ao lado da heroína. De um lado e outro, tudo em excesso.


Cá pra nós: acho que se alguém contasse para Yoani Sánchez quem é quem nessa foto, nem ela teria tido coragem de sentar a essa mesa. Pobre coitada.

Sobre Yoani, uma reportagem que vale a pena ler: A blogueira favorita da mídia, na Carta Capital.

2 comentários:

A. Claret disse...

Flavio,

esta senhora e' um produto da estupidez/ditadura politica dos Castro em Cuba. Como estes estao ancorados no seculo XIX, nao percebem que o pior que podem fazer, alem da privaçao de liberdade individual, e' criar falsos martires. A esquerda de Cuba e' cega, castradora (sem trocadilho) e principalmente antiguada. Mas a direita cubana nao fica atras. Nao sei qual e' a pior: se a oposiçao em Miami ou a ditadura/reinado dos Castro na Havana.

Quanto aos politicos brasileiros que a rodeiam, pouco que dizer: o mais conhecido deles e' filho de um facista e neto de um politico mediocre.

Abs.

Blog do Flávio de Castro disse...

Claret, 100% de concordância. Cá entre nós: o 'castradora' foi perfeito!