8 de jan de 2013

Má gestão ou má sorte?

O site do Estado de Minas está com uma matéria que merece ser lida: Brasil tem 97% das Prefeituras endividadas [AQUI]. O dado é da Confederação Nacional dos Municípios - CNM que cumpre seu papel litúrgico de colocar a culpa na queda do FPM. Eu, particularmente, acho necessária uma ponderação: se há diferentes níveis de dependência dos municípios do FPM, é razoável usar uma causa comum para justificar a  quebradeira de todos? Eu penso que não. O FPM pode ter complicado, e muito!, a administração dos pequenos municípios que, praticamente, vivem dele. A própria matéria faz referência a isso: Pequenos municípios sofrem ainda mais com dívidas de prefeituras [AQUI]. Mas, a meu ver, em municípios de médio e grande porte a sua queda pode, no máximo, ter amplificado o efeito negativo de gestões que já vinham, mesmo antes, apresentando problemas. Casos como o de Sete Lagoas não podem ser comparados aos de cidades de pequeno porte no norte do estado, como Japonvar, citado na matéria, lugar que eu nem sabia que existia. Há diferenças enormes: Sete Lagoas tem um leque de receitas muito mais diversificado e tem uma capacidade instalada de gestão incomparavelmente maior. Se otimiza sua arrecadação e se usa bem essa capacidade gerencial é o xis da questão. A análise do orçamento [por mais que falem que ele não passa de uma peça de ficção], nas mãos de quem sabe interpretá-lo [e muitos servidores na Prefeitura sabem e sabem bem...], vis-à-vis o progresso da arrecadação e das despesas, ao longo do ano, diz tudo e mais um pouco. O diacho é que ninguém quer ouvir os alertas que essa comparação sistemática emite. A realidade é que os gestores metem o pé no acelerador, esquecem o freio, descem ladeira abaixo e acreditam que vão chegar inteiros. Não chegam e culpam a má sorte e o FPM...

2 comentários:

Ivan disse...

Quanto Sete Lagoas recebe de FPM?

Anônimo disse...

Sobre a nova empresa que faz a coleta de lixo em Sete Lagoas:

http://www.lavras24horas.com.br/portal/prefeitura-e-empresa-de-lixo-dao-prejuizo-de-mais-de-meio-milhao-ao-povo-de-sao-lourenco/