28 de dez de 2012

'Cidade Aberta'

Serenidade e coragem

A cada quatro anos, é a mesma coisa. O prefeito que está tirando o time de campo é obrigado a vir a público mostrar as mazelas que deixa: dívida com o INSS de quase R$100mi, dívida com a Via Solo de mais R$10mi, folha de pagamento com comprometimento, acima do legalmente previsto, de 58%, falta de dinheiro para pagar tudo e todos. Por sua vez, o prefeito prestes a assumir não poupa impropérios para falar de sua 'herança maldita' nem adjetivos superlativos para falar dos milagres que pretende operar. Coisas da política...

No artigo de hoje, eu dou minha opinião: é necessário mais do que trocas de nomes e apertos de parafusos; é preciso uma ruptura. Ou daqui a quatro anos as notícias serão as mesmas, apenas com os personagens trocados. Leiam a coluna Cidade Aberta, no SETE DIAS. A versão digital está AQUI.

Um comentário:

LEANDRO VIANA disse...

Flavio, o prefeito eleito tem repetido esse circulo vicioso. Gostaria de ver e ouvir, por exemplo, como a futura administraçao vai tratar as parceriad PPPs e vai investir nos convenios com a Uniao e Estado. O sucesso de de uma gestao municipal hj está fundamentalmente ligado a cspacidade de se desenvolver um plano de negocios capaz de atrair e trabalhar com estes parceiros.