19 de nov de 2012

Domingão esportivo

1
Eu gostei do circuito de Austin, do GP das Américas. Nada de travado. Vários pontos de ultrapassagem. Curvas de alta. Achei o trecho da serpente genial. Nem o papo de pista abrasiva colou. Pra variar, só não gostei da atitude da Ferrari. Essa história de trocar o câmbio de Massa para dar um lugar à frente e do lado mais limpo para Alonso foi demais. Isso foi além do jogo de equipe. Interferiu em várias outras questões em jogo. Por exemplo: melhorou as condições de largada de Maldonado e piorou as de Senna. Lamentável... Afora isso, achei pra lá de bom o final do campeonato ter sobrado para o Brasil. Um final apertadíssimo...

2
O Cruzeiro carimbou a faixa do Fluminense. Carimbar faixas de campeão é sempre uma boa tradição...

3
E o Atlético, hem Enio?! Para quem queria ser campeão não conseguir nem emplacar a Libertadores direto é ruim, não?! Empatar com o lanterna já rebaixado, em casa?! As chegadas das panteras são sempre primorosas...

4
E o parmeras, meu!, tibum... Aquela história: se um Palestra tem que cair, que seja sempre o paulista; o mineiro, nunca!

[Década perdida: dez anos depois, o Verdão volta à segundona...]

9 comentários:

Frederico Dantas disse...

Também achei a pista ótima. Se conseguirem manter a F1 nos EUA pelos próximos anos acredito que esta pista proporcionará corridas memoráveis.

A Ferrari nem se deu ao trabalho de trocar o câmbio do Massa, só rompeu o seu lacre deliberadamente. E teve a cara de pau de soltar uma nota explicando, claramente, que fez isso para "potencializar" a largada do Alonso.

Quanto ao Cruzeiro fiquei na dúvida. Se ganhamos dos campeões somos campeões também, não? Ahahah

Blog do Flávio de Castro disse...

Frederico,

Voltando a Austin, achei interessante as diferentes curvas de desempenho dos carros, em função dos seus pneus. As RBR eram mais estáveis com pneus novos, mas perdiam desempenho com pneus mais velhos; as McLaren pareciam mais equilibradas, mesmo com o desgaste de pneus, tanto que Hamilton superou Vettel; já as Ferraris tinham enorme dificuldade de aquecê-los, para ganhar estabilidade. Essa diversidade, em que nem sempre um era superior aos outros, o tempo todo, com destaque para a McLaren, foi outra boa surpresa da pista...

Já no Brasileirão, eu acho que, logicamente, quem vence o melhor é o melhor... [risos]

Anônimo disse...

Caro Flávio,

Já fui um entusiasta com a F1 muito mais que vc, mas depois das manobras da Ferrari para beneficiar seus pilotos de frente, tendo como protagonistas os nossos indignos representantes brasileiros na F1, Barrichelo e Massa, tudo não passa de um show com cartas previamente marcadas. Deixou de ser esporte para ser um show business, aí perdeu a graça e dá até um certo nojo ver a promoção que a Globo faz para conseguir audiência. Triste fim para a F1 que um dia já teve Senna, Fittipaldi, Mansel, Prost e tantos outros guerreiros que nos faziam ter um domingo diferente pela manhã.

Frederico Dantas disse...

Do jeito que este Alonso é cagão, o carro de Vettel quebra no Brasil - não seria nada de mais, vejam o Webver ontem - e ele acaba campeão.

Tomara que não. Que ele e a Ferrari se lasquem!

Blog do Flávio de Castro disse...

Anônimo,

Você tem toda razão. O meu problema é o vício...

Blog do Flávio de Castro disse...

Frederico, vira essa boca pra lá... Se bem que, com 13 pontos de diferença, tudo é possível...

Frederico Dantas disse...

Se o alemão quebra, basta chegar em terceiro que, convenhamos, não é tão difícil assim para o chorão. Se perder o Alonso vai culpar o STJD.

Blog do Flávio de Castro disse...

[risos...]

ENIO EDUARDO disse...

Flávio, lembre-se, o Galo só não vai direto para a Libertadores se o São Paulo ganhar a sulamericana. Você está achando que o São Paulo já é o campeão da sulamericana?

Mas se o galo for para o mata-mata, vai ser bom tb, afinal jogar contra o Real Potosí naquelas alturas, fará bem para a saúde dos jogadores (hehehe). Vocês já passaram por isto.

Mas ainda o campeonato não acabou, lembre-se disto.