13 de out de 2012

Um amável duelo de frases

Patrus ligou-me, anteontem, para uma palavra pós-eleitoral. Uma, duas, três palavras. Mais do que a tristeza da perda, no telefonema, esteve presente a lembrança da vibração de tantas pessoas bacanas que estiveram conosco. Patrus lembrou-se, mais uma vez, de Ciça Bizzotto. Falamos da dádiva de fazermos política em família. Eu comentei com ele da minha sogra Helena, patrusista de velhos tempos. Comentei que ela esteve com ele, num domingo, na feira da Afonso Pena, que falou de sua admiração por ele e recebeu dele um afetuoso abraço e palavras também afetuosas. Ela não se identificou como mãe da Tiza e minha sogra. Quis e permaneceu anônima. Coisas de Helena. Patrus interessou-se pelo caso e em saber mais a respeito. Comentei que ela era sobrinha de Cyro dos Anjos, que tinha a mesma veia literária. Disse do livro que trouxe de presente para ela e Tiza, da FLIP, o 'Cyro e Drummond', e como a sua leitura estava sendo especial para ela e Tiza em razão de um mundo de referências familiares preciosas para as duas, ainda que invisíveis para o leitor comum. Rimos. Terminei o telefonema com a frase publicada no 'Fora Lacerda', tida como escrita em um muro em Paris, em 1968: "Nós, os derrotados, somos invencíveis". Patrus divertiu-se, lembrou-se de Darcy Ribeiro e rebateu: "Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu". Comentei tudo isso com Helena que, implacável, de pronto, fuzilou, também voltando a Paris, em 1968: "Seja razoável, peça o impossível". Não é à toa que estamos todos no mesmo lado do mundo e não no outro...

4 comentários:

Pablo Pacheco disse...

Boa tarde, pracianos.

Uma questão para todos, partidários ou não: há uma semana do primeiro turno das eleições municipais e no momentâneo favoritismo de Fernando Haddad em Sampa, estamos prestes a assistir um rolo compressor petista no principal colégio eleitoral do país (Haddad na prefeitura, Lula vencendo a eleição para governador de SP e Dilma se reelegendo na presidência)?

Abraço!

Blog do Flávio de Castro disse...

Pablito,

Calma! Já é muito o PT ter se saído como o partido mais votado, em plena temporada de mensalão. Haddad parece uma possibilidade real frente a um cara hiper rejeitado. De minha parte, paro por aí; o futuro a Deus pertence...

ENIO EDUARDO disse...

Flávio, o Pablo tem razão em um aspecto: A possível vitória do Haddad, abrirá caminho para as eleições 2014. Como em Minas o PT não foi tão bem assim, principalmente na região metropolitana - que corresponde a 40% do eleitorado mineiro), já ouvi de dirigentes petistas que o Lula seria candidato a Governador de SP para ajudar a garantir a vitória da Dilma para Presidência.

Assim, o Pablo não está viajando tanto assim.

Pablo Pacheco disse...

Rá! Flávio, pode falar com o Marcos Coimbra que posso ajudar em alguns freelas...hehe

Ênio, acredito que não se refletiu, nas urnas, o julgamento do STF. Mas isso não exime o PT da obrigação de expurgar os culpados de seus quadros.

Abraço e boa semana a todos os pracianos!