11 de out de 2012

Eleições V: SL [votos voláteis]

[Votos Nominais - VN dos atuais vereadores]

[Percentual de Votos Válidos - %VV dos atuais vereadores]

Apenas para colocar um pouco de lenha na fogueira desse debate sobre os resultados eleitorais, vão aí alguns apontamentos curiosos, avaliando o desempenho, exclusivamente, dos atuais vereadores. Antes, para facilitar a leitura das tabelas, [1] os nomes assinalados são dos vereadores reeleitos; portanto, os não assinalados são dos não-reeleitos; [2] na primeira tabela, as duas primeiras colunas numéricas são, respectivamente, de suas votações nominais nos pleitos de 2008 e 2012; [3] na segunda, dos percentuais de suas votações em termos de votos válidos e [4] a última coluna indica o percentual da votação recente face à anterior, de cada um, com relação aos votos nominais e aos votos válidos, em cada tabela.

[a] Dos seis reeleitos, três foram bem sucedidos apesar de uma perda expressiva de votos. Milton Saraiva, por exemplo, viu metade de seu eleitorado virar pó;
[b] Desses seis, apesar da gigantesca exposição que o mandato permite, apenas um foi reeleito com votação praticamente estabilizada: Renato Gomes teve apenas 76 votos a mais do que em 2008; alguma coisa entre 3 e 5% de crescimento;
[c] O único vereador que teve uma expansão expressiva de votos foi Dalton Andrade, com uma expansão de quase 50%;
[d] Curiosamente, esses dois vereadores mais bem sucedidos - Renato e Dalton - tem uma atuação mais ideológica e temática, o que anda em desuso e os difere da maioria;
[e] Os dois vereadores com vitória-certa, por adotarem um estilo bastante histriônico e ruidoso de atuação, não se deram nada bem: Caio Dutra perdeu quase metade de sua votação e não foi eleito; Marcelo Cooperselta viu quase 40% dos seus votos sumirem e por pouco não perdeu o assento. Justo ele que, segundo dizem, alardeava uma votação recorde e já se punha como candidato a presidente da casa. Há um emblemático recado dos eleitores aí, não?!

7 comentários:

Anônimo disse...

Flávio quer dizer que metade dos votos do Milton viraram pó (rsrsrs). Curioso né!

Só quero saber quem foi o beneficiário da distribuição do pó, digo votos.

Que o Milton continue combatendo o pó e os seus assemelhados.

Ramon Lamar disse...

Sugestão? Coloque as variações absolutas e relativas... e se possível com a compensação referente ao aumento do eleitorado (aí é pedir demais, né?).

Blog do Flávio de Castro disse...

Ramon, sugestão aceita. Além de incluir o desempenho 2008/2012 por %VV, vou fazer uma correção: o Cooperselta teve um queda enorme; em 2008 ele teve 2575 votos e não 1654 [quem teve essa votação foi só o João Pena]. Ou seja, perdeu quase mil votos...

Anônimo disse...

O TRE VAITER QUE CONVOCAR O CORPO DE BOMBEIROS, PARA PROCURAR AS URNAS QUE FORAM JOGADAS NA LAGOA PAULINO, QUE CONTÊM OS VOTOS DO LICO.

ATÉ HOJE AS URNAS NÃO BOIARAM!!!

Anônimo disse...

O João Pena não foi eleito por prescrição médica. Pois seus colegas da camara, médicos, o recomendaram que ele ficasse calado pelo menos 04 anos, pois suas cordas vocais ja estavam gastas e calejadas de tanto ele falar em plenário durante todo esse tempo que ele foi vereador. Coitado, merece um repouso, afinal é preferível um cidadão comum falante que um vereador mudo.

kkk....kkkkkk......

Blog do Flávio de Castro disse...

Ramon, postagem corrigida e ampliada. Veja aí...

Anônimo disse...

Quero ver é se o segundo vereador mais bem votado, vai doar o seu salário. e se vai resolver sozinho todos os nossos problemas. ABRAÇO AMIGO CELESTE.