5 de out de 2012

Debates e debates

Eu assisti a todos os debates em BH e a alguns em Sete Lagoas. A meu ver, há uma questão que extrapola a simples organização dos debates e remete a uma questão cultural, da nossa 'cultura política'. Curiosamente, todos eles foram hiper rígidos: ou limitaram debates reais de temas entre candidatos; ou, mesmo quando permitiram,  levaram a embates de propostas descontextualizadas, sem o necessário aprofundamento do tema, com demarcação de postos de vista e, a partir daí, sim, da inserção das proposições de cada candidato. Eu, ontem, assisti ao debate entre Obama e Romney e fiquei muito impressionado. Independente das táticas adotadas - sobretudo, da ofensiva do republicano - me surpreendeu o ambiente de diálogo que se estabeleceu, com intervenções de um candidato na fala do outro, com intervenções do próprio moderador, favorecendo uma abordagem mais madura de cada assunto, isso sem perda da rivalidade de posições e do clima de embate e, ao mesmo tempo, do nível de serenidade e de civilidade. Alguém aí assistiu?

2 comentários:

A. Claret disse...

Flavio,

me chamou a atençao que o Romney indicasse como exemplo negativo a Espanha por gastar muito no setor publico, incluindo saude, educaçao e infraestrutura. Note-se que a direita espanhola que governa agora nao se destaca precisamente por esta virtude... mas para um americano tipico este tipo de gastos e' um exagero!

Dai, concluo que o Rommey foi aconselhado a atacar ao Obama de forma indireta e menos incisiva. De todas formas, eles sao farinha de um mesmo saco: as diferenças sao minimas.

Blog do Flávio de Castro disse...

Claret, sobre o conteúdo, confesso que, em diversos momentos, me fez falta uma melhor compreensão do mundo americano para entender particularidades das falas de cada um. Mas especialmente nesse ponto da contrariedade com gastos públicos, quase uma demonização, concordo com você que não é Romney apenas, mas o país, a cultura americana que vai além do limite...

Mas me impressionou, sobretudo, o estilo do debate. Se você tivesse oportunidade de ver os debates brasileiros, nessas eleições, como são ruins, rígidos, acho que concordaria comigo. No formato, o americano é bem mais maduro.

Bom revê-lo aqui...