2 de set de 2012

'Rumo ao interior'

Toda discussão que temos feito aqui sobre cidades compactas, verticalização, perímetro urbano, adensamento, 'periferização', planejamento urbano etc. etc., tem como pano de fundo o fato de que a pressão de crescimento populacional sobre cidades como Sete Lagoas tem sido crescente. Na audiência sobre a APA Serra de Santa Helena [AQUI e AQUI, por exemplo], quando fui mal interpretado ao defender a verticalização como forma de redução da pressão periférica sobre áreas ambientalmente relevantes, eu cheguei a mencionar que esse não era um problema sete-lagoano, mas que nós reproduzíamos um padrão latino-americano. O relatório da ONU-Habitat, publicado na semana passada, ratificou essa constatação [AQUI]. Nada de novo nisso porque esse não é um problema novo. Nessa mesma linha, o IBGE publicou na sexta, 31, um relatório com estimativas populacionais municipais em 2012 [AQUI] que aponta que os municípios com crescimento mais expressivo estão sendo aqueles com população entre 200 e 500 mil habitantes, como o nosso. Esse fato mereceu, na Folha de ontem, uma manchete precisa, na pág.C5: Cidades de médio porte são as que mais crescem, aponta IBGE. O quadro abaixo esclarece o assunto [não se deixem enganar pela faixa vermelha...]. A versão digital da matéria da FSP pode ser lida AQUI


Resumindo: preparem-se! Lá vem gente...

Nenhum comentário: