30 de set de 2012

Por que voto em Dalton e peço o seu voto para Dalton

A vida política de Sete Lagoas vive tempos obscuros. Quase nenhuma voz se levanta para fazer a defesa dos valores públicos que devem orientar o nosso desenvolvimento. Quase nenhuma voz se levanta para fazer a defesa da cidade inclusiva, democrática, plural, sustentável, que se estrutura a partir de nossa história, nossa cultura e nosso patrimônio. Dalton é uma dessas raríssimas vozes.

Em uma Câmara Municipal em que a ampla maioria dos vereadores notabiliza-se por miseráveis expedientes de clientela, em seus currais eleitorais, Dalton é uma exceção na construção de um sentido coletivo de cidade.

Como nenhum outro, Dalton supera o limite individual e personalista do vereador para realizar um mandato coletivo. A organização de seu gabinete, com a presença de pessoas qualificadas como a Lidiane Carvalho, a Christiane Santos, o Caio Pacheco, a Vitória Botelho, a Michelli Correa, o Cláudio Machado e o João Luis Torres, historiadores, engenheiros, jornalistas, relações públicas, arquitetos e advogados, tornou-se uma referência – ética e política – de produção coletiva, criativa e inovadora. Não sem razão, ali, multiplicaram-se projetos que Sete Lagoas jamais viu. Não sem razão, dali, saiu uma prestação de contas do mandato – expondo, com naturalidade, seus avanços e seus desafios, seus erros e acertos –  como jamais se fez. O mandato de Dalton é rico de autenticidade, transparência, ousadia e criatividade.

Em um ambiente sempre tão hostil e ardiloso, Dalton tomou muitas bolas nas costas. Muitas. Mas depois de quase quatro anos de mandato mantém não apenas as mãos limpas – o que é desnecessário dizer – mas, sobretudo, os seus compromissos e ideais inabaláveis, sem desculpas esfarrapadas. Dalton nos tranqüiliza: nossas ideias não são vãs, não são utópicas e é possível ir em frente.

Nesse túnel obscuro, outras luzes podem se acender, mas essa não pode se apagar. Dalton é uma gigantesca esperança de superação do conservadorismo que nos destrói e nos diminui.

5 comentários:

Anônimo disse...

Só o voto contra os professores é que pegou mal, mas no restante foi um mandato razoável. Mas pelos mandatos que temos na cidade, está de bom tamanho e merece permanecer, e avançar !

Anônimo disse...

Bravo!

"Dalton é uma gigantesca esperança de superação do conservadorismo que nos destrói e nos diminui."

Que o Dalton supere também seu próprio conservadorismo em relação ao seu chauvinismo, expressado em suas ações, que o faz agir dentro da crença de que os homens são superiores às mulheres. Dessa forma ele andou 'pisando na bola' e feio.

O Dalton fez um bom mandato. Se conseguir superar e seu limite individual, poderá avançar ainda mais.

Com tudo isto, que seja Reeleito.

Blog do Flávio de Castro disse...

O nosso problema é que, entre nós mesmos, insistimos em ver apenas os nossos defeitos. Como se os adversários, os clientelistas, fossem poços de virtudes. Enquanto os homens de bem se debatem em questiúnculas, os espertos nadam de braçada. Estou com receios - e muitos - com os resultados dessas eleições sete-lagoanas...

Anônimo disse...

Voto em Dalton, ele é cara super inteligente e integro, coisa rara de se ver hoje em dia.

Anônimo disse...

Dalton....sempre terá o meu voto, pois foi o unico candidato a fazer prestação de contas ao povo. meu voto 13007