8 de ago de 2012

Arquitetura anti-mendigo - II

O gesto trai a intenção. A desculpa do prefeito Márcio Lacerda [de que as pedras sob o viaduto, na Avenida Cristiano Machado, eram para proteger os moradores de rua contra enchentes] cai por terra quando ele passa a padronizar essa solução. Mesmo onde não há enchente alguma. No vídeo divulgado no Facebook, mais viadutos, mais pedras... Isso é inaceitável! Eu custo a acreditar que alguém possa ter uma visão de cidade tão perversa quanto essa. É tão perversa que o prefeito, ele próprio, se contesta. É uma agressão aos moradores de rua, à cidade, a todos nós:

5 comentários:

LEANDRO VIANA disse...

Flavio, o senado aprovou ontem a lei das cotas sociais e raciais para ingresso nas universidades federais do pais. 50% das vagas serao destinadas a estudantes de escolas publicas, dentre criterios q vao garantir ao pais uma inclusao social jamais atingida antes, a medio e longo prazo. Em um pais tao desigual essa e uma das maiores conquistas da republica.

Alvarenga disse...

A "solução do Lacerda", mostra a forma como a Prefeitura vem sendo administrada. Claro que esta forma não aconteceu ontem.

Essas Pedras por exemplo, foi uma idéia pensada dentro da URBEL e executada pela Secretaria de Infra-Estrutura e Obras.

Ainda que a responsabilidade recaia justamente nos ombros do Prefeito, é sempre bom lembrar que tanto a URBEL, quanto a Secretaria de Infra-Estrutura e Obras eram dirigidas, até o mês de julho, pelos petistas Claudius Vinicius e Murilo Valadares respectivamente.

Ou seja, este pensamento higienista não é apenas do Márcio Lacerda individualmente, mas faz parte de um "certo modo petista" de governar de alguns dos seus membros.

Os equívocos do Lacerda, tiveram a colaboração de petistas. Lembram-se da proibição de utilização da Praça da Estação? Pois bem, teve a contribuição da Sra. Thaís Cougo Pimentel - Ex-Presidente da Fundação de Cultura. Pelo sobrenome, vocês já devem ter adivinhado de quem esta Sra. é esposa. Ela se posicionava publicamente contra o Movimento da Praia da Praça.

Gostaria de ver o Patrus eleito novamente Prefeito de Belo Horizonte, acho difícil, há uma diferença percentual muito grande entre ele e o Márcio, podendo estas eleições serem definidas ainda no primeiro turno. Mas ainda há os programas de rádio e TV, quem sabe o Patrus promova uma reviravolta.

O que entristece é que estes Petistas deverão voltar para a administração, caso o Patrus seja eleito.

Que coisa heim! Levantaram o Poste em 2008 e agora quero ver se conseguem derrubá-lo.

Alvarenga disse...

Em relação ao Estacionamento que se refere o locutor. É bom esclarecer que não é da Arquidiocese, como é afirmado no audio e sim é o famoso estacionamento do Pool da própria Prefeitura.

Os carros ali estacionados pertencem a cooperados da Cooperativa de Veículos que presta serviços na PBH.

Blog do Flávio de Castro disse...

Leandro, concordo com você...

Blog do Flávio de Castro disse...

Alvarenga,

Nas gestões municipais, diferente das estaduais e federal, em que o nível de autonomia das secretarias é muito menor, é difícil isentar um prefeito de responsabilidade por um ato tão emblemático. Se ele discordasse, bastaria mandar tirar. No entanto, ao contrário, o site da Prefeitura deu uma versão oficial para essa crueldade que só serviu para dar ao prefeito a sua paternidade. A mais, é preciso estar atento às declarações recentes do prefeito sobre como enfrentar a ocupação do espaço público. De novo, ele mostra uma visão muito higienista e preconceituosa...

Eu também estou na torcida pelo Patrus!