24 de jan de 2012

Para aonde caminha Dilma?

Do alto de uma aprovação que superou a do, então, insuperável Lula, após o primeiro ano de governo; do alto de uma popularidade erguida sobre o temor onipresente que transmite, o que fará a presidente Dilma com seu ministério? Ela dá sinais pouco claros. Ou nada claros. Com essa estatura toda [e reconheça-se, por mérito seu, coisa que nem o mais exaltado otimista seria capaz de prever, há um ano], eu gostaria que ela pusesse pra quebrar: mudasse, inovasse, rompesse, desvinculasse-se do passado, arriscasse. Sem temores!


Sinais ambíguos. A faxina que fez, por ora, foi mais contingencial do que intencional. Vista por fora, foi uma coisa; por dentro, nem tanto. Se no Transporte, por exemplo, adotou uma solução técnica; no Turismo, manteve, salve-nos Deus!, a colonial capitania maranhense...

Sinais trocados. Depois da queda do sétimo auxiliar, desmontou a expectativa de que faria uma reforma mais abrangente em janeiro. Pronto: fim de jogo. Mesmo porque os dois novos nomes postos na berlinda mostraram que o jogo tem regras mais difíceis de entender: há tocáveis e intocáveis. Mas, hoje em dia, não se comenta outra coisa que não a reforma que não haverá, mas que haverá...

A mudança na Educação era esperada. Aí, a meu ver, duas boas surpresas: uma, o fato de não ter usado a Educação como moeda de troca com Marta Suplicy, pela renúncia à sua pré-candidatura paulistana. Na hora do vamos-ver, a presidente optou pelo já ministro Mercadante. Tanto melhor. Outra: para o lugar vago no MCT, nada de politicagem, mas um nome de carreira, um cientista, ex-presidente do INPE e da SBPC, atual presidente da Agência Espacial Brasileira: o tal Raupp. Nada mal, especialmente, ao se saber que havia uma disputa política pela cadeira movida pelo PSB.

Vai e vem. Se você se anima com um gesto, vai com calma! Nada é certo. Comentários já surgiram dando conta de que Marta não foi para a Educação, mas a sua fatura será paga na Cultura. Será?!

Vem e vai. Se aí você se desanima, calma de novo porque outro gesto aponta em sentido oposto: no lugar do Gabrielli, um quadro político, na super Petrobrás, a escolha será, novamente, técnica: Graça Foster, outra figura de carreira, com estilo gerencial – dizem – parecido com o da chefe.

Nesse enevoado, o que ela fará com ministérios que realmente interessam, na perspectiva do investimento público, como o das Cidades? Manterá o curral partidário ou irá buscar alguém com experiência em gestão urbana e comprometido, historicamente, com a reforma urbana? Isso acho que nem Deus sabe.
.
Só uma coisa se sabe: verdadeira ou falsa, a presidente beneficiou-se, até agora, da história de que pilotava um ministério herdado, que não podia chamar de seu. Com o poder que acumulou, essa história acabou. Não há mais sombras. Agora, ninguém duvida: quem manda é Dilma! Para o bem ou para o mal.

15 comentários:

Blog do Flávio de Castro disse...

Pois é: "Lula avisa a petistas que Ministério das Cidades continuará sob o comando do PP". http://www.otempo.com.br/noticias/ultimas/?IdNoticia=141794

Anônimo disse...

Será que chegou a vez do Deputado do "Pó da Santa" assumir o posto?
Segundo Cristiana Lobo, é pouco provável.

João Lúcio
Canaan.

Blog do Flávio de Castro disse...

Hoje, falava-se no retorno de Márcio Fortes. Tanto melhor...

Flávia Augusta disse...

Flávio,

As mudanças ministeriais tem ocorrido a todo tempo no governo Dilma. Diante disso eu fico otimista de que Patrus ainda venha fazer parte deste governo.
E você o que acha? Será que existe a possibilidade do convite? Sendo convidado será que ele aceitaria?

Blog do Flávio de Castro disse...

Eu tenho falado com Patrus, mas isso não tem feito parte de nossas conversas. Ele anda feliz com a vida que tem levado. Acho que só voltaria a Brasília por um bom projeto. Ou seja, depende de para aonde e em quais termos. Não sei...

A. Claret disse...

Flavio,

nao tenho conhecimentos nem sequer rudimentares sobre a politica brasileira atual mas acho que uma presidenta(e) que foi eleita com o numero de votos da Dilma esta nao teria que negociar ministerios com outros partidos. Nao creio que ela realmente mande. Talvez seja a somente a anfitria~ numa mesa onde todos comem e bebem a vontade.

Blog do Flávio de Castro disse...

Claret,

Ela não é pau mandado. Tem gênio difícil, é autoritária, começou o ano com reuniões setoriais exigindo metas e, sobretudo, mecanismos de monitoramento e avaliação e é temida. Mas no modelo brasileiro que chamam de 'presidencialismo de coalizão', outros de 'presidencialismo de extorsão', o Congresso joga um jogo baixíssimo de toma-lá-dá-cá. Ele não ajuda em nada, mas tem enorme poder de dificultar. Sabe quanto vale e cobra por isso. Daí essa aposta de até onde Dilma vai e quanto ela recua...

A. Claret disse...

Flavio,

genio dificil e autoritaria nao me parecem boas caracteristicas de um governante. Ao contrario.

Se ela manda e foi obrigada a despedir varios ministros em um ano, nao quero nem pensar se ela fosse docil.

Abs.

A. Claret disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A. Claret disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Blog do Flávio de Castro disse...

Claret,

Eu apenas qualifiquei o estilo da Dilma para responder a uma dúvida que você colocou: "Não creio que ela realmente mande". Eu acho que ela manda, manda muito, é ciosa do poder que tem, mas que o problema não está aí. No nosso sistema, tornou-se um valor [ou um anti-valor] um padrão de relacionamento entre poderes que não creio - ainda que ela queira e aceitemos que ela queira - que se superará do dia para a noite, sem uma baita crise institucional. Ela vai mostrando as garras. Vamos ver até aonde ela vai...

A. Claret disse...

Flavio,

agora vi que meu comentario anterior aparecia 3 vezes. Me desculpe. Devo ter apertado a tecla 3 vezes sem dar-me conta.

Ramon Lamar disse...

genio dificil e autoritaria nao me parecem boas caracteristicas de um governante. Ao contrario. (2)

ENIO EDUARDO disse...

Gênio Difícil e Autoritária? Que isso Flávio! Ela é um doce. Claret, não acredite no Flávio. A dilma é um doce de pessoa, sensível e somplesmente exerce sua autoridade de Presidente.

O Flávio exagerou demais.

Claret, você precisa ver a doçura e candura da Dilma. Ela tem a leveza

de uma . . .

de uma . . .

de uma . . .

de uma . . .

de uma . . .

Lembrei!

Hipopótoma apresentando-se no Balé A Dança das Horas. Você precisa ver que gracinha.

A. Claret disse...

kokkkkk