27 de jan de 2012

Obra ilegal é suspeita de provocar colapso

Ainda sobre a tragédia do Rio. Especialistas estão descartando a ocorrência de explosão. As características são de uma implosão. Uma hipótese é que uma obra ilegal [não sei se no 6º ou no 16º andar], no prédio mais alto, provocou um colapso na estrutura. Em um desses pavimentos, ela ruiu, foi esmagada pelo peso dos andares superiores e foi desmontando o edifício de cima para baixo. Não é nenhum oportunismo usar essas tragédias para tirar lições. A legalidade de uma obra não é mero formalismo ou uma 'burocracia' - como o prefeito Maroca qualificou a nossa exigência. Legalidade é fator de segurança. Pode até não ser suficiente, mas é necessária. No mínimo, reduz riscos.

Outro aspecto: essas tragédias, como as ocasionadas pelas chuvas, põem à prova os mecanismos preventivos públicos. Isso não era relevante, no passado, mas, cada dia mais, torna-se uma exigência. As cidades, quando os têm, resumem-nos apenas a defesa civil. É pouco. Hoje se vê a necessidade de vistorias periódicas em prédios, como ocorrem em algumas cidades fora do Brasil. Para essa necessidade nenhuma prefeitura está preparada. Há casos de falência de material impressionantes. O concreto, por exemplo, que se julgava infalível, entra em colapso em diversas situações e isso nem sempre é identificado a tempo. Há um exemplo, em BH, que eu ouvi de um calculista: um prédio foi construído sobre os famosos paliteiros, e essa estrutura foi lacrada com alvenaria. Ficou perfeito por fora, mas criou-se um ambiente interno em que a umidade, com baixa ou alta salinidade, não sei, reagiu com a cal do concreto, deixou exposta e oxidou toda a ferragem de pilares, vigas e lajes. Em cima era uma área de lazer com piscina e tudo mais. Quase veio abaixo...

2 comentários:

Ramon Lamar disse...

Sei da história de um prédio no Rio de Janeiro em que foi usada areia de praia no concreto. Tinha até conchinhas no meio do concreto. Ficou cai não cai. Um engenheiro falou comigo que não havia o menor problema. Lembrei das minhas aulas práticas de corrosão na disciplina de Química Geral que cursei junto com a turma de Engenharia... e do comparecimento de apenas 20% da turma no dia da discussão dos resultados do experimento. No outro dia o prédio caiu.
Sabe de qual "palácio" estou falando, né?

Blog do Flávio de Castro disse...

Claro!