25 de jan de 2012

O que a pressão popular não faz...

Eleições à vista, pressão nas ruas, pressão se propagando exponencialmente nas redes sociais: o prefeito Márcio Lacerda não quis dar seu nome a filho que não era seu. Preferiu o velho 'toma que o filho é seu' ou 'quem pariu Mateus que o embale'. Arrumou um argumento técnico, vetou o projeto de aumento dos vereadores e devolveu a bomba para o colo dos seus pais. A nota:

"O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, decidiu hoje (segunda-feira) vetar a Proposição de Lei 02/2012, que previa o reajuste dos salários dos vereadores para a próxima legislatura. Uma das razões do veto é o fato de o projeto vincular o percentual de reajuste dos vencimentos dos vereadores aos dos deputados estaduais. Segundo o veto, essa vinculação é inconstitucional. A íntegra do veto será publicada na edição do Diário Oficial do Município nesta terça-feira, 24 de janeiro de 2012."

Santa inconstitucionalidade. Apareceu, do nada, em boa hora, para salvar a pele do prefeito...
.

2 comentários:

Fernando Dantas disse...

Depois de "Luiza no Canadá" acredito muito no poder do facebook!

Zeca Dias Amaral disse...

Se a constituição é de 1988, por que só em 2012 é que alegaram tal argumento? Ficou inconstitucional deontem pra hoje? Concordo com o post; vale a pressão (e o que não anda passando embaixo da ponte...).
Abs.