2 de jun de 2010

Menino – XXIV

Dias depois, logo cedo, fui ao curral, atrás de seu Zé. A manhã ‘tava fria de entristecer. – Zé, bão? Me diz: que que está acontencendo? Levantei e não achei ninguém em casa. Cadê os patrões? – Ah, Maria, de madrugada, eles pegaram a camionete e saíram espaventados. Ouvi o barulho, desci pra ver o que era e eram eles. Mal me cumprimentaram e saíram... – Deus do céu, o que será?, perguntei. – Sei bem não Maria. Acho que D. Zuca ligou, que o menino não anda bem... Pelo jeito, boa coisa não é.

Um comentário:

Flávia disse...

Que angustia... Boa coisa não é.