29 de abr de 2007

£¢ºº@¨*!!!?*£££

O título desta postagem é um palavrão impronunciável que eu estou pronunciando desde o término do jogo do Cruzeiro x Atlético. Eu estou dizendo impropérios aos céus, porque aos responsáveis por aquela tragédia na terra é perda de tempo.

Ser desclassificado pelo Brasiliense era uma zebra. Vá lá... Na mesma semana, perder para o arquirival era intolerável. Tá bom... Mas perder por 4 a 0, sem direito a culpar o juiz, é uma tragédia!!! E-n-o-r-m-e!

Depois daquele 4º gol, então, só resta um silêncio melancólico...

Se eu fosse o Alvimar Perrela eu diria: "quem foi o imbecil que deu aquela saída de bola depois do 3º gol? Fora!... Quem foi aquele cidadão que achou que podia voltar para o gol, tranquilamente, de costas para o jogo? Fora!!... Quem foi o treinador dessa turma? Fora!!!... E quem contratou esse monte de incompetentes? Eu? Fora!!!!

O outro lado do etanol

A alternativa energética do séc. XXI com modelo de produção do séc. XVII

Os jornais de hoje exploram o lado dramático, exclusivo e insustentável da lavoura da cana-de-açúcar para produção de etanol, com manchetes fortes. "A desigualdade do Etanol - Combústível se expande à custa de relações de trabalho arcaicas e concentração de renda" é o título da matéria d'O Globo. Diz lá: "Os cortadores de cana vivem à margem da lei e trabalham no limite da exaustão (já morreram 18 trabalhadores em São Paulo, com suspeita de exaustão), enquanto os usineiros mantém a prática antiga de se fecharem em oligarquias pós-modernas, mantendo a concentração de renda nas mãos de poucos".

A Folha de São Paulo não pegou mais leve: "Cortadores de cana têm vida útil de escravo em SP - Pressionado a produzir mais, trabalhador atua cerca de 12 anos, como na época da escravidão". Apoiando-se em pesquisa da UNESP, a matéria compara a vida útil no trabalho na lavoura da cana com a dos escravos nos séc. XVIII e XIX.

Jamais chegaremos a um modelo de desenvolvimento inclusivo? Toda oportunidade será sempre apropriada desigualmente? O capitalismo será sempre gerador de desequilíbrio, transferindo para o Estado o papel de resgatar direitos que ele, por princípio, corrompe?

28 de abr de 2007

SEM-JUÍZO

Dálcio, n'O Correio Popular

França: emoções fortes

A oito dias das eleições, apenas 5% separam Royal e Sarkozy

"PARIS - A candidata socialista à Presidência francesa, Ségolène Royal, diminuiu a distância em relação a seu rival conservador, Nicolas Sarkozy, que continua liderando as pesquisas, a oito dias do segundo turno das eleições presidenciais francesas.

Sarkozy venceria com 52,5% dos votos, uma queda de 1,5 ponto em cinco dias, enquanto Ségolène Royal recupera posições, somando 47,5% das intenções, segundo uma pesquisa do instituto Ifop, que será publicada na edição de amanhã do jornal Journal du Dimanche". G1, 28/04/07

Ninguém segura Stephen Hawking


Há 4 décadas circulando em uma cadeira de rodas, o físico britâncio não desiste. Não fala, respira por um furo na garganta, não tem nenhuma autonomia, mas é capaz de se meter em um vôo parabólico para saber o que é a sensação de gravidade zero. Em uma fração de segundos, uma fração de prazer. Olha a cara do Hawking!

Brasilienses

[1] A CCJ do Senado, em votação apertada (12 a 10), aprovou a redução da maioridade penal para crimes hediondos. Duvido que isso dê em alguma coisa, além de apaziguar a insaciável fúria nacional. Bobagem! O Estado brasileiro não dá conta nem dos adultos hediondos, menos ainda dos adolescentes hediondos. Na prática, não muda nada. A lei não é o problema, mas seu cumprimento...
[2] Desde quando se entende que a relação entre Meio-Ambiente e Minas e Energia deve ser de convergência? Que nada!!! Nesse lugar, quanto mais conflito melhor. Sem conflito, o MME ganha de W0. Com conflito, o MMA perde, mas morre lutando...
[3] Diabos! Por falar em brasilienses, o Brasiliense mandou o meu Cruzeiro pro espaço...

Centrão V - Boom boom

A cantora Gretchen, nas palavras de seu próprio site oficial ,a "pioneira do setor retro-rebolativo" e a "rainha do bumbum", filiou-se ao PPS para tentar disputar a Prefeitura de Itamaracá (PE). Começa, na semana que vem, uma preparação com aulas particulares sobre política. Faz todo sentido...

A nossa coleção de pérolas, que vai de vento em popa, ganha mais um adepto: o ex-ministro Raul Jungman. Ao comentar esse tento do PPS, Jungmann disse que "o PPS é light, aberto, fundamentado no mundo da cultura e do trabalho". Bonito isso, não?! É o velho partidão no conforto light do centrão...

SAAE ou COPASA em Sete Lagoas: uma discussão inexata

No nosso quintal, só mazelas. No do vizinho, as frutas sempre mais doces...

Não consegui concordar plenamente com nenhum dos artigos que li, com nenhuma das opiniões que ouvi sobre o assunto. Não estou armado para essa discussão, mas também não quero acatar nada pacificamente. Alguns pontos fundamentais precisam fazer parte da equação para compreendermos o jogo e apostarmos:

1. A comparação que tem sido feita tem um prejuízo de origem: compara-se uma autarquia municipal quebrada com uma empresa pública capitalizada. Esquece-se que o SAAE não quebrou sozinho. Em parte, sua derrocada deveu-se a má gestão, uma atrás da outra. Mas em grande parte, deveu-se a ingerência do mundo político na sua gestão. Com amplo conhecimento público! O ex-prefeito Cecé, por exemplo, transferiu para o SAAE a competência pela limpeza urbana sem contrapartida orçamentária e financeira. Durante anos o dinheiro da água e do esgoto financiou indevidamente esse serviço. Ninguém quis enfrentar esse tema porque significava ter que discutir como financiar a limpeza, o que é impopular. Todo mundo viu, calado, o SAAE se descapitalizar. Nesse contexto, a COPASA também se daria mal...

2. Grande parte da receita do SAAE escoou, literalmente, em ligações irregulares. Os vereadores criaram todo tipo de dificuldade para evitar uma fiscalização eficaz. Os mecanismos mais triviais foram impedidos. Também eram impopulares...

3. Há anos se joga pra platéia. Brinca-se com um assunto sério. Vê-se, sem emoção, um patrimônio público setelagoano ser dilapidado... Troca-o por voto... A má gestão do SAAE sempre deu voto. A entrada da COPASA, que não brinca em serviço, vai alterar esse quadro? Encerrará esse populismo gerencial?

4. O quê significa ‘não brinca em serviço’? Significa que trata os fatos com objetividade... A tarifa de água e esgoto de Sete Lagoas é classificada como atrativa. Entende-se que ela determina um ambiente economicamente favorável. Mas a manutenção desse ambiente pressupõe algumas medidas adiante: uma, a substituição do peso político (leia-se decisão da Câmara) na fixação da tarifa por um critério econômico previsível de correção. Ninguém vai investir sem garantias; e uma segunda, a autorização para uma prática de gestão ao modo privado, o que exclui, de imediato, o populismo vigente de não-fiscalização;

5. A pergunta que não quer calar: se o serviço é ou será rentável para a COPASA porque não foi para o SAAE, que detém esse monopólio há anos?

6. Admitindo-se a entrada da COPASA, o que os nossos negociadores devem exigir em benefício da cidade? Investimento? Claro! A COPASA estará assumindo um ativo que não vale pouco e um ativo maior ainda que é a garantia de um público consumidor cativo de 200 mil pessoas... Uma ETE? Claro! É parte da contrapartida... Pra valer: qual a garantia de qualidade do serviço e de tarifa justa? [Um detalhe: a COPASA não é exatamente um consenso onde ela já está...]

7. Mais: qual o modelo de gestão de concessão o município vai adotar: vai criar uma agência reguladora como alguns sugerem? Ou vai adotar o mesmo modelo puramente político, irracional, esquizofrênico e descompromissado com os resultados que usa na gestão da concessão de transporte coletivo?

8. Esse mundo de propaganda da COPASA em Sete Lagoas é pura aposta ou ela já conta com o ovo... Que ela já ganhou uma licitação que sequer começou todo mundo já sabe...

Para encerrar, descendo do muro, minha posição pessoal: a) qualquer que seja a decisão, ela tem que colocar no horizonte tangível a solução do problema do tratamento de esgoto e da construção de alternativa de abastecimento por coleta superficial; b) Isso é negócio! Para entrar, a COPASA tem que pagar o máximo, para permanecer, o SAAE tem que mostrar o coelho da cartola...

24 de abr de 2007

3 más notícias

[1] O Mercado Distrital de Santa Tereza vai virar sede da guarda metropolitana: a burocratização de um espaço público...
[2] O Mercado Distrital do Cruzeiro vai virar centro gastronômico: a exclusão e o fim da pluralidade e da diversidade...
[3] A área livre da antiga FAFICH vai dar lugar a uma escola infantil: tudo a favor de escola infantil, mas não na única área livre do Santo Antônio...


Em 1999, eu participei de um grupo de arquitetos contratado pela Prefeitura para elaboração de projeto resgatando a verdadeira vocação da área: transformar-se no Parque Santo Antônio. O projeto unificou os terrenos da municipalidade e da UFMG, preservou apenas as edificações relevantes, interviu no sistema viário para eliminar transtornos na principal entrada do bairro e ampliou a área livre, de lazer e esporte. Não se pode criar uma falsa oposição entre escola infantil pública e parque. São equipamentos complementares! Mas um não pode invalidar o outro. Por que não desapropriar alguma área privada do entorno? E muito importante: por que não ouvir a população do Santo Antônio antes de qualquer decisão?!...

23 de abr de 2007

Eu sou desse tempo

Olha que coisa mais inusitada: "Com mais de cem anos, mimeógrafo ainda tem mercado" é o título da matéria do G1, de hoje, sobre o velho aparelho patenteado em 1887 por Thomas Edison. "Mais de cem anos depois de sua invenção, os mimeógrafos ainda são largamente utilizados em todo o país. Só uma das fabricantes nacionais, a gaúcha Menno, produz cerca de mil duplicadores todos os meses. A maioria tem as escolas como destino final, segundo a empresa". (...) "O aparelho é capaz de produzir cópias de papel a partir de uma matriz feita em estêncil (um tipo de papel impermeável) e com o uso de álcool. Muita gente se lembra do mimeógrafo pelo produto final, que em geral tem o texto roxo". Que ótimo! Eu não me lembrava mais nem dos textos roxos, nem do tal do estêncil...

22 de abr de 2007

Red Bull Air Race

E eu lá sabia que existia essa doideira? Passei o dia de olho... Eu e um milhão de cariocas que foram à Enseada de Botafogo conferir. Pode ser coisa de maluco, mas é o esporte mais plástico que já vi! As fotos nos sites e jornais de hoje não me deixam mentir...

O comentarista

Melhor que os posts deste blogueiro são os comentários do Pablo. Os posts estão virando apenas pretextos para provocar a ação demolidora do comentarista. O Pablo está por inteiro no 'Blog do Pablo' [Marco Zero] nos Links aí ao lado. Se bem que o Pablo é mais assíduo aqui do que lá. Lá, sem patrão, ele vive matando serviço...

21 de abr de 2007

Com a corda toda

Andei sumido... Deixei o blog de lado, por uns dias, pra cuidar da vida. Depois de 3 anos em Brasília estou retornando hoje a Belo Horizonte. Talvez, uma hora dessas, poste alguns comentários aqui sobre essa experiência brasiliense. Talvez não. A vida é muito rápida... Novos projetos ocupam, num minuto, o coração e a mente da gente. Por ora, mala pronta, vida nova... com a corda toda!

Brasília, 21 de abril de 2007

Centrão IV - Que ideologia o quê?

O jornalista Jorge Moreno, em sua coluna Nhenhenhém n'O Globo de hoje, presta uma inestimável colaboração à nossa coleção de pérolas sobre a marcha triunfal e épica de todos os políticos ao grande e infindável centro. Está na nota 'Ideologia': "O neto está à direita do avô e o pai, à esquerda do filho. A tese é confirmada pelos próprios ACM Neto e Rodrigo Maia. Para o DNA, uma espécie de Luciana Genro às avessas. E ainda assim, Neto e Rodrigo estão à esquerda de Onyx Lorenzoni. Se é assim, então Onyx é quase um Le Pen dos Democratas". Perfeito! A ideologia foi mesmo pr'as cucuias...

Números para confundir o coração

A realidade que as estatísticas revelam é um troço danado. Vira e mexe, você acaba se sentindo um idiota diante dela. Por exemplo: o coração nacional se abalou diante da morte do menino João Hélio. Aí vêem as estatísticas da violência e dissem que isso é besteira: "... todo santo dia 130 pessoas são assassinadas e outras 80 são vítimas do trânsito aqui mesmo..." (FSP, 20/04), ou seja, todo santo dia cai um Boeing de Joões Hélios no Brasil. Que coisa, né?!

França: com o coração na mão

Os franceses vão às urnas nesse domingo. Mas ninguém faz idéia do que acontecerá... As eleições, que pareciam reduzidas a um duelo entre o candidato de centro-direita Nicolas Sarkozy e a socialista Ségolène Royal, vêem adquirindo cores mais emocionantes desde o início de fevereiro. O elemento surpresa não atende mais, como em 2002, pelo nome do sempre candidato direitista Jean-Marie Le Pen, mas do centrista François Bayrou, que chegou a colar nos favoritos em meados de março. Pesquisa da agência AFP de 15 de abril deu Sarkozy à frente com 30%, Royal com 26% e Bayrou, em queda, com 18... Mas em se tratando dos imprevisíveis franceses tudo pode acontecer... Dá-lhe Ségolène!!!

O desconhecido Bayrou de olho no lugar da charmosa Royal

10 de abr de 2007

Campeonato Mineiro: marmelada

No domingo, postei comentário sobre o campeonado mineiro brincando: "Marmelada: o Atlético ajudou na vitória do Democrata no último jogo, escolhendo seu próprio adversário das semifinais? A ver...". Dito e feito: dois dias depois, a confirmação! O Democrata de Valadares não apresentou laudo do Corpo de Bombeiros atestando a capacidade mínima do seu estádio, o José Mammoud Abbas - o Mamudão - e optou, como mandante de campo no 1º jogo, pelo... (surpresa!!!)... Mineirão! Ou seja: o Atlético fará seus dois jogos em casa... Detalhe importante: todos os jogadores do Democrata pertencem ao Atlético. Coincidência pura!

Que mundo animal!

Não só a raça humana anda abandonando os filhos recém-nascidos. O mundo animal resolveu adotar a moda: primeiro, Knut, o urso solar alemão, foi abandonado e chegou a ter sua morte defendida por ambientalistas. Depois, Layla, a rinoceronte branca concebida artificialmente, perambulou, sem-pai-nem-mãe, pelo zoológico de Budapeste. Agora, é a vez do pequeno Bilbo, um lêmur-do-bambu, primata natural de Madagascar, em forte risco de extinção, que foi largado pela mãe no zoológico de Estocolmo...

9 de abr de 2007

Alunos pobres do ProUni dão show

Os alunos beneficiados com bolsas do ProUni tiveram as melhores notas no ENADE de 2006, o antigo provão.

O programa dá bolsas de estudo para alunos de famílias pobres que tenham feito ensino médio em escolas públicas ou em escolas particulares com bolsas de estudo. As bolsas são integrais para alunos de famílias com renda de até R$ 570 por pessoa e parciais para alunos com renda familiar de até R$ 1.140 por pessoa. Para permanecer com a bolsa do ProUni, durante todo o curso, o estudante tem que ser aprovado em 75% das matérias.

O ProUni foi criado há um ano e meio. Os primeiros alunos com bolsas foram avaliados em novembro do ano passado pelo Enade. O resultado oficial só sai em maio mas o Ministério da Educação (MEC) já corrigiu as provas dos estudantes das faculdades particulares.

O resultado revela que os alunos do ProUni conseguiram as melhores notas em todas as áreas de ensino avaliadas nas particulares. No curso de psicologia, por exemplo, os alunos do ProUni conseguiram nota 47,5. Os que não são do programa atingiram 40,8. No curso de administração, os alunos do ProUni ficaram com nota 40,2. Os alunos sem bolsa obtiveram nota 32,5. No curso de medicina: alunos com bolsa, nota 36,4; alunos sem bolsa, nota 28,8.

Centrão III - Todos Democratas

Colecionando pérolas... França, Oropa e Bahia. Em todo lugar, segue a marcha cerrada rumo ao centro. O DS - Democratici di Sinistra - o partido da Democracia de Esquerda italiano, que tem sua origem ligada ao velho PCI (Partido Comunista Italiano), ao fundir-se com o Margherita, de origem católica, responderá, a partir de agora, pelo incomum nome de Partido Democrático. Os democratas de lá têm origem comunista; os democratas de cá são filhos da ditadura militar. Nenhum problema: todos democratas!!!

Comentário de Fernando de Barros Silva, na FSP, hoje: "Seja como for, em ambos os casos, o esforço de 'desideologização', a busca pelo lugar comum democrático, sem maiores especificações, tudo enfim joga água no moinho dos que apostam na irrelevância crescente da política e no esgotamento dos partidos como catalisadores de demandas coletivas e veículos de transformação social". Assino embaixo...

Campeonato Mineiro

Cruzeiro x Tupi e Atlético x Democrata-GV são os jogos da semifinal do Mineiro. O grande Democrata de Sete Lagoas evitou uma derrota no último jogo, mas com 14 pontos conseguiu apenas a 8ª colocação. O Ipatinga não repetiu as campanhas anteriores e ficou em 7º, com 15. O Vila Nova raspou na trave: quase pulou para a 4ª colocação, mas o Tupi conseguiu uma vitória aos 32 do segundo tempo contra o Rio Branco e garantiu a vaga. O América, quem diria!, com apenas 5 pontos em 11 jogos caiu para o módulo II junto com a Veterana Caldense. Marmelada: o Atlético ajudou na vitória do Democrata no último jogo, escolhendo seu próprio adversário das semifinais? A ver...

Fim de semana

[1] A semana começa com a notícia de que vem aí o filme duplo "Grindhouse" de Quentin Tarantino ("Pulp fiction") e Robert Rodriguez ("Sin City")...



[2] Felipe Massa está com jeito de Barrichello. Largou mal na Malásia, perdeu duas posições e se deu mal na disputa com Lewis Hamilton: 5º lugar...



[3] Com o Palmeiras quase eliminado do Paulista, o animal lamentou a distância da família, reclamou da diretoria, prometeu largar o futebol e chorou...



[4] O risco-Brasil começa a semana batendo novo recorde: 154 pontos, o menor da história. Lembrando: no auge da campanha de 2002 chegou a ultrapassar 2.400 pontos...

4 de abr de 2007

Centrão II - De direita eu?

Colecionando pérolas: O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (Democratas, ex-PFL), se irritou durante entrevista sobre a Lei Cidade Limpa, nesta terça, ao ser classificado de político "de direita" durante entrevista ao repórter norte-americano David Harris (do canal norte-americano de televisão CurrentTV, fundado pelo ex-vice-presidente dos EUA e candidato derrotado à presidência Al Gore). Kassab não gostou de uma pergunta do repórter, que indagou como um "político de direita" fez uma lei comparável "a experiências existentes na China e em Cuba, que são países comunistas". Para o prefeito, o repórter cometeu um "grande equívoco" ao afirmar que ele era um político de direita. "Sou um político de centro", afirmou. (www.G1.com.br)

2 de abr de 2007

Apoio on-line a Sobel

O grupo "Amigos Brasileiros do Paz Agora", que prega a paz entre judeus e árabes, abriu um abaixo-assinado on-line em solidariedade ao rabino Henry Sobel, acusado de ter furtado gravatas em Palm Beach, nos Estados Unidos, em 23 de março. "O lamentável episódio que o envolveu mostra que todos somos humanos, e ninguém está livre de atitudes irracionais e autodestrutivas", diz o abaixo-assinado.

Para prestar solidariedade ao rabino basta acessar o endereço http://www.petitiononline.com/petsobel/petition.html

As reformas virão?

O entendimento do TSE de que o cargo político é do partido, não do eleito, surpreendeu meio mundo. Uns pelo fato do TSE estar, dia-a-dia, sentindo-se mais confortável na arte de legislar, que não lhe compete. Outros, pela imprecisão jurídica da decisão: ela se aplica aos tantos e quantos já mudaram de partido depois das últimas eleições? Todos eles perderão seus mandatos? Ou só é aplicável daqui pra frente? O PFL, digo DEM, um dos mais prejudicados pelas infidelidades recentes e provocador da decisão do tribunal, terá coragem de reivindicar os cargos perdidos? A decisão respeita o eleitor brasileiro? Ele, ao votar, sabia dessa regra? Estava dando o voto ao candidato ou ao partido?

A decisão do TSE, mesmo impertinente, é emblemática. O assunto da reforma política já vai se tornando tão velho que já não era de se duvidar que não acontecendo por bem, aconteceria por mal. Não acontecendo por mérito, aconteceria por oportunismo. O DEM seguramente não provocou o TSE por crença programática. Pelo contrário, metade de seus quadros já pecou alguma vez e pulou de um para outro partido até chegar onde está. Só acionou o tribunal, agora, para estancar a sangria de partidários, o que, no passado, em sentido contrário, já lhe fez bem... A Câmara, por seu turno, só colocará o assunto em pauta, agora (se colocar), pelo desconforto e pelo impasse que a decisão do tribunal lhe criou e não por motivo mais altruísta... É uma pena!

Mas é uma pena também que outras reformas fiquem esperando a hora de entrar em cena. Por inevitáveis que se tornarão, não por ação pró-ativa e estratégica dos atores políticos... O professor e ex-deputado Marcos Cintra, em artigo na Folha de hoje (“O bom combate”), por exemplo, defende que, para aceleração do crescimento do país, mais importante do que a intervenção nas variáveis macro-econômicas (câmbio, juros etc) – que podem pôr a perder “conquistas obtidas ao longo dos últimos anos” relacionadas à estabilidade da economia – ou do que a redução de gastos públicos (em razão de “insuperáveis dificuldades políticas e sociais” para alcançá-la), são as reformas política, tributária, previdenciária, do judiciário e trabalhista, por serem “capazes de aperfeiçoar institucionalmente a economia brasileira”, criar um ambiente de negócios mais favorável e catalisar o investimento privado, coisas do gênero... Mas elas virão? Sabe-se lá quando...

1 de abr de 2007

Centrão

Complicado: o PFL, agora DEM, não quer mais ser liberal. O PSDB, desde a campanha, abandonou a agenda neo-liberal. E Lula disse que ninguém maduro pode ser de esquerda... Ou seja, para os de lá e os de cá: ao centro, volver!

Sobel merece respeito...

Chata e constrangedora essa história do rabino Henry Isaac Sobel e o roubo de 4 gravatas em Palm Beach, Flórida. Ele próprio não conseguiu justificar o que fez: "(...) Quanto ao ocorrido, é muito difícil para mim explicar o inexplicável. Não possuo conhecimentos científicos e psicológicos para compreender, explicar e, menos ainda, justificar aquilo que aconteceu, mas uma coisa eu sei: o Henry Sobel que cometeu aquele ato não é o Henry Sobel que vocês conhecem". Espero que haja uma sensatez, sobretudo da mídia, na abordagem desse caso. É preciso levar em conta a importância de Sobel na luta contra a ditadura, na defesa de Herzog, na luta pelos direitos humanos, na sua ação ecumênica. E também a fragilidade, a precariedade da nossa condição humana. E responder sem hipocrisias, com compaixão e solidariedade...

Palocci: formiga ou cigarra?

Já foram publicados diversos livros sobre o governo Lula. Não se pode dizer que são livros de história recente, mas livros de história simultânea. Em todos eles ressente-se de um distanciamento crítico dos fatos. Escritos no calor da luta, no fundo, querem vender uma versão original de bastidor. Mas é inevitável a sensação de ser, sempre, uma versão precipitada... A leitura de qualquer um deles é sempre frustrante. A sensação é de que ou o autor não pôde falar tudo o que sabia ou sabia menos do que quis aparentar. Quando o autor é um protagonista da história, é um ex-integrante do próprio governo Lula, aí vem também a óbvia percepção de versão meio “chapa-branca”. Nesses casos, vê-se que os limites do que se pode dizer são mais ostensivos. Inevitável...

Acabei de ler “Sobre formigas e cigarras” do ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci (Objetiva, 2007). Nada muito além do que todos nós sabemos ou soubemos, à época, pelos jornais. De novidade, um ou outro relato sobre o ambiente que precedeu algumas decisões relevantes de seu período. A mais importante, a que fixou a meta de inflação para 2005 em 4,5%, considerada excessivamente rígida por meio mundo e duramente criticada pelo líder do próprio governo no Senado, o senador Mercadante. Palocci coloca a decisão na conta exclusiva do presidente...

O livro só faz sentido na lógica de reposicionamento do nome do ex-ministro. Palocci saiu do governo em situação delicada, silenciou-se, voltou à cena como deputado federal e, agora, com o livro, procura dar sua versão dos fatos, eximir-se das culpas que lhe foram imputadas (especialmente sobre o caso do caseiro, que foi o estopim de sua saída da Fazenda), desvincular-se dos temas negativos que o envolveram e associar-se a temas e agendas positivos e relevantes. No livro, coloca o Ministério da Fazenda no centro do governo (e apenas o MF...), o lugar da racionalidade (o único...), o grande formulador de projetos (mesmo os da área social). Capitaliza! E, ao exibir com desenvoltura seu pensamento, esforça-se [mais para cigarra do que para formiga...] em mostrar que não só o ministério, mas ele próprio é pura racionalidade. Racionalidade, cordialidade e serenidade... Sintomaticamente, só avalia outros protagonistas da história, da situação ou da oposição, pelo estilo de trato de cada um. Jamais demarca territórios de diferenças, nem mesmo as ideológicas ou programáticas. Sintomaticamente, não usa categorias de palavras do sofrido dia-a-dia como povo, pobre, popular... [e como anotaram os jornais: nenhuma vez cita fome-zero, o programa, então, símbolo do presidente)... Low profile!
Low profile demais...